Comprar no comércio local vai continuar a valer prémios

O programa “Maia+Local” veio para ficar. Por isso, comprar no comércio local vai continuar a valer prêmios. A garantia foi dada pelo presidente António da Silva Tiago no final do sorteio de prémios no valor global de 75 mil euros, que inclui automóveis elétricos para consumidores e comerciantes, relativa à primeira fase do projeto, que decorreu entre maio e julho. “É fundamental criar medidas concretas para apoiar e impulsionar a economia local a retomar os níveis de atividade económica,” justifica o autarca.

O projeto Maia+Local foi lançado pela Câmara Municipal da Maia com o objetivo de apoiar o comércio local, estabelecimentos de restauração e lojas vocacionadas para a prestação de serviços. Por cada 15 euros de compras efetuadas no comércio local, os consumidores habilitam-se a ganhar prémios semanais no valor de cerca de 1500 euros, nomeadamente bicicletas elétricas e tours pela Maia. 

Na primeira fase, o Maia+Local contou com a adesão de 352 estabelecimentos, gerando um negócio superior a 400 mil euros. Entre maio e julho foram submetidas 7922 faturas, das quais 6407 foram submetidas para concurso. Na plataforma, foram registados 3080 utilizadores.

Sem qualquer custo para os comerciantes, o “Maia+Local” quer contribuir para o reforço do tecido empresarial, estimular o consumo e a empregabilidade no concelho. Pretende dar um novo fôlego aos agentes locais com área comercial até 200 m2, independentemente de terem ou não porta aberta para a rua ou de estarem inseridos em centros comerciais.

De acordo com o presidente da autarquia, importa ajudar a economia local a retomar os níveis de atividade económica. “Este período foi particularmente difícil para as microempresas de comércio e serviços. Por isso, esta iniciativa do município de incentivar o regresso do consumo no comércio e serviços locais”.

O programa Maia + Local é desenvolvido em articulação com a Associação Empresarial a Maia e com a Empresa Metropolitana de Estacionamento da Maia, EM. Para além da grande adesão de cafés, restaurantes e lojas de vestuário, inclui ainda farmácias, talhos, cabeleireiros, papelarias e centros de estudos, estando todos devidamente identificados com o selo da iniciativa.